quinta-feira, 16 de agosto de 2007

encontros

Procurei no teu olhar, algo que justificasse aquele momento...
Tudo que encontrei foi a intranquilidade dos mares agitados em noites de tempestades
Eu que não sou do mar e pouco entendo dele
Tive ânsia e vontade de sair, tentei resistir mas não deu
De repente, tudo girava, confundindo meus pensamentos e minhas ações
Tive medo e recuei, sem muitas alternativas
Você só me ofereceu o olhar que me confundia e um sorriso pouco sincero
Afasto-me e aceito a covardia dos dias ensolarados
Sem tristeza, sem noites, sem ninguém

5 sobrou pra você!:

p. disse...

pegando o jeito da coisa de blogueira....hehehe!
gosto dos teus textos mais emotivos e pessoais...

Bruno disse...

é verdade... se empolgou mesmo!
mas continue, seus textos são muito agradáveis!

bjos!!!

Andre S. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andre S. disse...

"estava calada metade da noite solitária. do nada dormiu e começou a falar sozinha" besos meu bem! to gostando de ler.

Ceiça Simões disse...

Brunaaaaaaaaaaa teus textos são tudo AMEIIIIIIIII...
fik com deus,bjussssss...