segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Da janela...

E outro dia estava indo para o trabalho. Acredito que era uma segunda-feira, desses dias que a gente acorda sem querer observar ninguém, mas passando ali pelo turbulento bairro do João Paulo meus olhos pararam em um vendedor de siriguelas. Não o observei como Ana fez ao avistar o cego no conte de Clarice, mas ele me chamou atenção.
Não era um simples vendedor de siriguelas que chegou a uma certa idade com um emprego informal. Infelizmente, uma realidade de nosso país.
Ele era triste, tinha ombros caídos e olhos tão melancólicos que não levantavam nem com os poucos clientes. Era como se ele estivesse recortado naquele cenário de cofos, caixas e café da manhã no tal "bike lanche" ou naquelas banquinhas de café, bolo ou cuscuz baiano na passagem de estudantes, vendedores, profissionais do comércio com suas inconfundiveis fardas amarelas, aquela confusão de frutas do conde, maçãs, pivetes roubando e guardas de trânsito estagiários causando engarrafamento. Nada daquilo era importante para ele, nem sei se algo ainda tinha lá sua importância.
Tentei comentar com a pessoa do lado, mas desisti. Cada um seguia com suas preocupações e tristezas pessoais, para quê fazer conspirações com problemas alheios? Para nada né
Sei que meus olhos acompanharam até um certo ponto quando não pude mais vê-lo e, com a confusão do dia, esqueci dessa imagem. Ela ficou aqui,guardada em algum ponto da minha cabeça e veio agora quando loguei oblog
Na verdade, ia escrever sobre aniversário e da minha fase pré-madura...mas fica para outra vez

4 sobrou pra você!:

Andre S. disse...

as vezes isso acontece comigo, ao menos quando eu vivia. beijos meu bem!!

Lheo! disse...

heeeey
eu estava vendo os arquivos do blog, ai por acaso li a letra de Eu sou o caso deles!
:D
que show, adoro essa musica cara!

nao conheço nem 5 pessoas que curtam novos baianos aqui em joao pessoa!

:}

lheeeo@hotmail.com

Rafael Velasquez disse...

realidades de nossas terras trópicas. infelizmente todos estão preocupado apenas com o "SI", e o outro não vale a pena. Você é de onde?

Diego disse...

pensei que aniversário e sua fase pré -madura fosse melhor que frutas muduras vendidas por um velho, talvez tão maduro, que esta prestes a cair no asfalto quente da feira do João Paulo.

Abraços.

e a cinderela burquesa pos moderna? será que sabe algo de um velho.