quinta-feira, 3 de maio de 2007


Sempre preferi o Nando Reis aos Titãs. Para mim, ele tinha as melhores músicas e, mesmo com um jeito de cantar um pouco diferente daquilo que estamos acostumados a ouvir e classificar como uma boa voz. Tinha um toque na alma que nunca consegui explicar muito bem.

Quando ele deixou a banda, senti-me desobrigada a ouvir os moços, sem preconceito algum, sem ressentimentos, sem traumas, abandonei-os e direcionei meus olhares ao trabalho do ruivo, apesar de, no início acreditar que ele não ia se desvincular da imagem de ex-titãs. Pelo visto, estava muito enganada , o moço assumiu algumas de suas composições que foram sucesso na voz de outras pessoas, dando a elas, um toque muito Nando Reis, além de novas músicas. O novo trabalho Sim e Não, um tratado sobre o amor, de acordo com a definição do próprio Nando, mostra que ele sabe o que está fazendo. O álbum está seguro na sua propostas. São várias faces do amor, sendo o paterno, o carnal, o singelo...enfim, o sentimento está muito bem representado. Eu confesso que no início tive um pouco de resistência ao álbum, mas ouvindo melhor, percebi que é algo que precisa ser ouvido, apreciado e compreendido. Para mim, Espatódea, N, Sou Dela, Monóico, Para ela voltar, são muito boas. Santa Maria e Caneco 70 e Sim são médias, agora ainda tenho resistência a Ti Amo, mas Nando Reis vale a pena de qualquer jeito, o show é muito bom. Fui no último e não me arrependo. Nos vemos lá, então!

Show dia 5, Ginásio do Dom Bosco ( Renascença)

22 h

2 sobrou pra você!:

zema ribeiro disse...

essa preferência é minha também. putz, o furo... carajo, preciso escrever sobre este show. impiedosamente, como bangs, risos. abraço!

zema ribeiro disse...

bom, já deves ter percebido que eu não fui... foi bom? claro, né? abraço!