segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Baleiro em novos projetos


Premiado na categoria melhor disco com " O Coração do Homem-Bomba Ao Vivo Mesmo", no Prêmio da Música Brasileira que aconteceu semana passada no Theatro Municipal, o cantor e compositor Zeca Baleiro concedeu entrevista a O Estado sobre a premiação e novos projetos. A matéria que traz também Rita Ribeiro ( vencedora na categoria melhor cantora) você vê hoje no jornal e aqui, a versão na íntegra da entrevista feita por e-mail
1- Zeca, em 2008, você lançou o Coração do Homem-Bomba volume 1 e volume 2 que deu origem um pouco depois ao O Coração do Homem Bomba Ao Vivo ao vivo mesmo que reúne canções dos dois últimos álbuns e outras da carreira. Hoje, passado o processo de produção e de turnê como você define este último trabalho? Se possível fosse você acrescentaria outras canções, modificaria algum arranjo?


Não, todo trabalho lançado tem a ver com o momento que o artista vive. Quando fiz esse disco, fiz exatamente como queria fazer. Não acrescentaria ou excluiria nada.


2- O DVD não teve regravações e correções digitais para retirar imperfeições comuns de gravações ao vivo, isso aproximou um pouco mais da atmosfera do show.  Em sua opinião, as pequenas interferências para atingir a perfeição técnica acabam dando um tom artificial à produção?

 É um recurso que se tem hoje. Mas é algo pra se usar com sabedoria, bom senso. Nesse caso, eu queria que o trabalho soasse o mais espontâneo possível. Por isso resolvi assumir as "falhas" - não há nada grotesco, eu garanto rs.

3- No DVD há duas partes, a primeira do show com canções do Volume 1 e alguns sucessos da carreira e a segunda parte, em estúdio e em preto e branco, as canções do Volume 2 que, na minha opinião são mais intimistas...
Era pra dar essa distinção das atmosferas dos dois discos de estúdio. O volume 1 é mais solar, mais festivo, e o 2 é mais instrospectivo. Essas facetas opostas estão lá no dvd também.

4- Seria banal uma pergunta do tipo “Como Você recebeu este prêmio”, pois teríamos uma resposta óbvia, mas gostaria que você falasse um pouco da importância da premiação para o contexto musical de hoje.
Olha, nunca fui muito afeito a premiações e festas do gênero. É delicado responder a isso, porque você pode tanto parecer blasé como deslumbrado rs. Não sou nem um nem outro. Fico feliz, mas não supervalorizo, porque acho que o grande prêmio do artista da música popular é ter um público cativo. E nesse sentido, me sinto já bastante premiado. Ah, e houve uma homenagem linda, comovente mesmo, a Dona Ivone Lara, isso foi o melhor.

5- Há  alguma outra premiação que você considera importante para a sua carreira?

Ah, um Oscar tava de bom tamanho rs.


6- Atualmente, quais os projetos que você está envolvido? Já algum novo CD em vista? Parcerias?

 Semana que vem lanço 2 cds - "Concerto" e "Trilhas". Em setembro lanço 2 livros, um de artigos sobre temas vários e outro com letras de canções. Em fim de agosto estréia um musical que escrevi quando ainda morava em São Luís, há 22 anos. Chama-se "Quem tem Medo de Curupira?" e é uma fábula sobre as criaturas fantásticas da mata.

7- E quanto ao calendário de shows, há alguma perspectiva de shows em São Luís?

Sim, até outubro devo ir aí com o novo show. Ainda não sei onde. Tô com saudades de tocar aí.

2 sobrou pra você!:

Roberto Sampaio disse...

Tô com saudades de tocar aí rs

zema ribeiro disse...

tou ansioso pelos novos discos: ele gravou uma de chico maranhão no novo ao vivo. abração!