segunda-feira, 4 de agosto de 2008

...

Antes do ônibus partir ( ou sei lá o quê) eu ainda tenho um monte de coisas para te dizer. Dessas que eu já te disse rotineiramente, dessas que eu digo só para você ou estampo no rosto, todos os dias. Preciso te dizer tudo que começou a fazer parte do meu vocabulário, desde o dia que eu te conheci, há quatro anos.
Parece que faz tanto tempo, parece que foi ontem e sempre parece que estamos no agora e no para sempre. Nem sei explicar como eu me sinto hoje. Só na possibilidade de te ver distante é uma coisa parecida com tortura e também uma piada. Sabe, nesse tempo todo eu não sei como é viver sozinha. Eu desaprendi a dormir sem antes falar contigo, eu não sei mais como é viver sem te ouvir reclamar de manhã, nem que fosse por telefone. Não sei mais fazer planos sem contar com você, não sei como eu vivi antes disso.
Meu bem, eu deveria incentivar ou encorajar, mas me desculpe...eu não estou conseguindo

1 sobrou pra você!:

andre disse...

meu bem,

não se preoucupe. não vou deixar de reclamar pela manhã, não vou deixar de falar com vc antes de dormir. Deus dará um jeito em tudo, não se preocupe.