quarta-feira, 17 de outubro de 2007

A loucura...

Todos os dias passamos por lá, quase todo mundo sempre passa por ali no Anel Viário e olha aquele homem sob o sol quente vestido de fiscal de ônibus e como se trabalhasse, fiscaliza...até faz multas imaginárias.
A gente sabe que ele precisa de ajuda, mas ninguém faz nada. Nunca alguém quis saber o porquê dessa fixação por empresas de ônibus. Será que já trabalhou em alguma antes do transtorno mental?
Ele não é ator, não tá ali para ganhar um trocado no sinal. Ele leva a sério aquela situação, está esquecido lá, preso nas obrigações do universo que criou, não se importa com os sorrisos a sua volta, nem com a grana que não chega no final do mês...
Bem, não acho que seja um assunto engraçadinho, realmente me entristece ao ouvir gargalhadas de adultos. Não tem graça nenhuma, aquele homem precisa de ajuda. Se não pudemos ajudar, não podemos esquecer que ninguém está livre de um transtorno mental. Se enlouquece por tudo, por dinheiro, por amor, por bebida, falta de sexo, excesso de drogas, encosto...Cada qual tem seu motivo e ninguém está livre de suas perseguições...

3 sobrou pra você!:

Andre S. disse...

realmente é uma situação dolorosa para aquele rapaz. é uma prisão das mais violentas e q se pensar bem, na qual todo mundo está preso. acho que em determinados momentos ele deve rir da nossa cara também por fazermos coisas absurdas - isso não justifica risos debochados e de insânia também. eu fico triste por tanta coisa, esta é mais uma e muita gente deve ficar - mas ngm faz nada e talvez não haja mais nada a fazer. o que é mais triste ainda. beijos meu bem.

NEY FARIAS disse...

OI, MEU ANJO. AQUI VAI, PARA VOCÊ, DE GRÁTIS, UMA LIÇÃO DE VIDA E DE MORTE.

"Sempre tive uma relação fria contigo.

Sempre me tiras-te tudo o que tinha de melhor.

Família, amigos...

Não consigo deixar de sentir dor, ao despedir-me de alguém.

É estranho vermos partir aqueles que mais cuidaram de nós, que nos conhecem desde o inicio e que nos ajudam a ser quem somos até hoje.

Hoje Morte,

Perdi uma pessoa que considerava minha familia...

Era cedo demais,

por mais que eu saiba e pense que ele está num lugar melhor, não consigo deixar de sentir uma angústia e revolta em relação a esta mudança tão repentina.

Mas no fim... e perante a minha atitude aparentemente fria e distante, só consigo fechar olhos e pensar: "Que Deus guarde a sua alma em paz".

Nielsen Furtado disse...

Oi Brunhinha, aquela situação é mesmo triste e como vc mencionou em seu texto: ninguém está livre de disturbios mentais. Vc escreveu de uma forma tão emocionada que comove que lê o seu texto, valeu mesmo, escrever é isso, sempre com coração, mesmo quando somos postos em situações qm que isso é difícil.